"Devemos prometer somente o que podemos entregar e entregar mais do que prometemos." - Anônimo

Como você provavelmente já deve saber, é possível se tornar um melhor desenvolvedor fora do trabalho, se dedicando a projetos pessoais, estudando, contribuindo para projetos open-source e outras atividades similares.

Em alguma delas, porém, você gasta cerca de 9h/dia? Não? Então é bom começar a se atentar mais as possibilidades que seu trabalho lhe oferece por mais escassas que aparentem ser.

E que maneira melhor de fazer isso do que prezar por um conjunto de atitudes que lhe guiarão em direção ao reconhecimento, maior renumeração e conhecimento técnico?

A lista abaixo adaptada do livro O Programador Apaixonado lhe ajudará justamente nisso. A lhe tornar um melhor profissional, capaz não somente de gerar expectativas, mas superá-las.

1.Crie um Senso de Urgência

A lei empírica de Parkinson diz:

O trabalho se expande até preencher todo o tempo disponível para ser completado.

Embora, essa lei seja especialmente válida para ambientes burocráticos típicos do funcionarismo público, na iniciativa privada, especialmente em grandes organizações, ela também deve ser levada em conta.

Dessa forma, crie ou até fabrique forçosamente um senso de urgência para suas tarefas em ordem a terminá-las rapidamente e poder se dedicar a algumas outras coisas que poderão lhe ajudar profissionalmente.

2.Leia Mentes

"Você lembra daquela funcionalidade que estava fora da lista de prioridades? Você pode implementá-la agora?"

Imagine se toda vez que alguém lhe perguntasse isso, você respondesse que tinha feito ou que já estava fazendo e ainda hoje iria terminar?

E isso não é tão difícil de fazer. Se você for parar pra pensar, gerentes e clientes frequentemente manifestam suas vontades, mas em virtude de outras necessidades mais urgentes a esquecem ou a colocam em uma lista temporária de segunda prioridade.

Essa é uma maneira excelente de exceder expectativas. Apenas tenha cuidado para não gastar o dinheiro da empresa, fazendo algo que ninguém queria que você fizesse. Comece pequeno, não se arrisque com algo grande em que uma decisão de negócios deve ser feita e evite adivinhar preferências de tela de usuário.

3.Trace Metas Para o Dia

Imagine que no final de todo dia você é capaz de reportar a seu gerente que você fez algo interessante? Isso não somente fará bem pra sua carreira, mas lhe dará satisfação diária.

Se você tem dificuldades para fazer isso porque seu objetivo é a longo prazo, divida as tarefas. É possível estabelecer metas diárias ou no mínimo semanais, sem comprometer sua visão de longo prazo.

4. Lembre Pra Quem Você Trabalha

Não se preocupe com quem fica com os créditos. Ajude seus colegas e tenha comprometimento com as necessidades de seu gerente. Se você ajuda seu gerente, é porque você provavelmente está ajudando diretamente a empresa a conseguir o que precisa. Se a empresa consegue reconhecimento, seu gerente consegue reconhecimento por parte da direção e você consegue reconhecimento por parte da gerência. É um Chaining Pattern, ajude e lhe ajudarão.

Ser capaz de dar crédito às pessoas é ter um poder similar a de um banco. Quando elas tiverem com dificuldade e precisarem de crédito, adivinhe a quem elas irão recorrer?

5. Se Pergunte Quanto Você Vale

O quanto você ganha é diferente do quanto você custa ao empregador. A empresa não paga somente seu salário, ela também paga ao estado pelo "direito" de lhe empregar. Assim, se você recebe R$800, por exemplo, a empresa tem um custo de cerca de R$1.600 por causa do que o estado lhe cobra. E essa proporção vai variando de acordo com o salário que você ganha. Geralmente, quanto menos você ganha, maior é a fatia de seu salário que o estado lhe subtrai e você não vê.

Além disso, a empresa tem custo com a obsolescência e manutenção de seu computador, alimentação, com a cadeira que você senta e a energia que você diretamente ou indiretamente consome. Ainda existe o custo de oportunidade, ela poderia em vez lhe pagar investir em um fundo e garantir um retorno de digamos 10% ao ano.

No final, são tantos os custos que não é exagero pensar que você deve procurar gerar um benefício no mínimo equivalente ao dobro do seu salário. Esse tipo de percepção vai lhe ajudar a ter uma visão de gestor e procurar efetivamente gerar valor dentro da empresa e diminuir custos.

6.Saiba Que Você Não é Indispensável

Se você acha que é indispensável, você provavelmente está fazendo mal o seu trabalho. Você não está repassando seu reconhecimento nem deixando o código de seu sistema claro o suficiente para que outras pessoas possam assumi-lo. Se você não é capaz, de assumir outras responsabilidades, você não progride.

Procure deixar legados dentro da empresa e mostrar-se necessário, mas nunca insubstituível. Se uma empresa está fomentando empregados insubstituíveis, provavelmente existe algo de muito errado com ela.

Desde aos altos cargos aos mais baixos, a saída de um profissional deve ser idealmente notada como a diferença entre o nível de água em um balde antes e após a retirada de uma pedrinha, quase nada.

Deixe legados e não há melhor maneira de fazer isso do que trabalhar para que cada vez mais pessoas sejam capazes de fazer o que você faz.

7.Seja Honesto, Não Hesite em Dizer Não

Não hesite dizer não quando necessário. E quando dizer não? Quando "não" for a verdade.

-É possível entregar isso para amanhã? Preciso disso para amanhã.

-Sinto muito, mas não é possível dada as condições atuais.

-O que é preciso então?

-Mais pessoas, mais tempo ou automatizar algum processo limitador.

Se você não souber qual a verdade, o que você diz? Diga a verdade de novo, diga que não sabe, mas que pode verificar melhor e mais tarde dar uma resposta mais satisfatória.

Dizer não também lhe torna uma pessoa confiável. As pessoas passam a saber que quando você fala sim, realmente você honrará o compromisso e refletirão melhor sobre as necessidades quando você disser que não. Com o passar do tempo perguntas como essa serão apenas perguntas de quem realmente quer saber, quer um conselho e não de quem pressiona.


Conclusão

No final das contas, o tom está nas suas mãos. Você pode até conhecer as partituras, mas não ser capaz de tocar como Eric Clapton ou Jimmy Hendrix.

Apesar disso, é essencial ter essa consciência o quanto antes.

Cuide dos seus pensamentos, pois eles se tornam palavras. Cuide das suas palavras, pois elas se tornam ações. Cuide de suas ações, pois elas se tornam hábitos. Cuide de seus hábitos, pois eles se tornam seu caráter. Cuide de seu caráter, pois ele se torna seu destino.

Nós nos tornamos aquilo em que pensamos. - Margaret Thatcher

Veja Também

Sobre o Autor

Johel Carvalho

Johel Carvalho

Engenheiro Civil formado pelo Instituto Militar de Engenharia (IME-RJ) em Dezembro de 2012. Largou a profissão pelo desenvolvimento web, começando com C# e sendo atualmente aficionado por JavaScript.

comments powered by Disqus